A «DEFESA»

23 de Janeiro de 2008

em Arouca

A «Defesa de Arouca» suspendeu a sua publicação. Ainda não se sabe por quanto tempo. É pena!
A «Defesa» é um jornal semanal com uma história que, nas últimas décadas, se mistura de forma indelével com a história de Arouca. Um jornal que justamente faz parte da memória colectiva de um povo, de uma terra, e que se constituiu como um forte elo de ligação com os nossos emigrantes que se encontram espalhados pelos quatro cantos do mundo.
Ligam-me vinte e cinco anos à «Defesa». Um tempo extraordinário (sobre diferentes pontos de vista) que terminou o ano passado. Fica a memória e uma palavra de solidariedade para com o seu Director e colaboradores, assim como os votos que a «Defesa» regresse depressa.

{ 4 comentários… lê abaixo ouadiciona }

1 Pedro Sousa 24 de Janeiro de 2008 às 17:43

Esta notícia deixou-me totalmente surpreendido e ainda me custa a acreditar. Apesar de “trabalhar na concorrência” sempre estive habituado a folhear a Defesa no fim de semana e sempre admirei o seu esforço: não é fácil, num concelho com Arouca, alimentar um jornal semanal.
Espero, sinceramente, que este encerramento seja provisório.

Responder

2 conta-corrente 3 de Fevereiro de 2008 às 9:11

Amigo Óscar Brandão parabéns pelo Blog. Uma boa forma de comunicar.
Arouca merece o tempo que lhe dedicas. Abraço. GBM..

Responder

3 Miguel Neves 4 de Fevereiro de 2008 às 8:09

Pois, realmente é de lamentar o desaparecimento deste jornal.
No passado Sábado, até liguei ao meu tio, que está no Brasil, ao qual comuniquei esta situação. Ficou completamente surpreendido, e triste, pois a Defesa era um elo de ligação com Arouca.
Mas, já agora, quem é que vai reembolsar os leitores que têm a assinatura do Jornal paga até 2008? O envio do jornal para o Brasil, por exemplo, estava em 80,00 € por ano, é dinheiro!…

Responder

4 Cláudia Oliveira 12 de Fevereiro de 2008 às 8:37

A “Defesa” desapareceu. Mas, sinceramente, alguém ficou surpreendido? Só quem tenha andado muito distraído nos últimos anos. É obvio que lamento o sucedido e julgo que Arouca fica a perder sem um jornal semanal. Independentemente do que se pense sobre a qualidade dos artigos e o rigor da informação publicada, um jornal semanal serve sempre para despertar consciência e aproximar os arouquenses da região onde vivem.

Será que toda a população arouquense sabe, efectivamente, o que se passava dentro da estrutura da empresa “Gráfica Arouquense”? Sabem quem são os sócios? Sabem quantos eram os assinantes pagantes? Conhecem realmente a “estória” do porte pago? E das dívidas; ninguém tinha conhecimento? Ou andam todos distraídos, ou eu ando muito atenta!…

A tristeza por este desfecho deve fazer com que todos nos sintamos tristes… A mim, esta situação faz me sentir mais pobre porque acredito que numa sociedade democrata um jornal é sempre uma mais valia ao serviço do esclarecimento do cidadão, para que este possa intervir de forma mais esclarecida na sociedade em que se insere.

Sou sensível à questão dos asinantes que ficaram sem o dinheiro e não tiverem sequer direito a uma palavra de satisfação por parte daqueles que estavam à frente dos destinos dete jornal. Mas, apesar disso, parece-me mais grave – embora ninguém fale nisso – a situação dos funcionários. Para eles também não houve satisfação alguma e, no caso destes, o prejuízo foi bem maior.

Começo a achar estranho que nenhum dos órgãos de comunicação local, e até regional, fale no assunto, como se fosse um tabu ou coisa do género. Será que sou a única a achar que o tema devia ser explorado?! Ou há algum aspecto deste tema que eu desconheça.

Este foi o único local de debate onde encontrei um comentário ao tema. E, embora não considere que o texto do sr. Óscar Brandão explore tuo aquilo que há para explorar, a sua atitude é de louvar. Principalmente porque tem uma ligação grande com a “Defesa”.

Responder

Anterior:

Seguinte: